Espelho espelho meu

TAG Espelho, espelho meu

30.11.14
Oi oi pessoal! Sabe que eu estou começando a gostar de verdade desse negócio de vídeo?! Hahahaha! Eu sempre morri de vergonha, além de sempre achar que vídeo dava muito trabalho (e realmente dá!). Mas até que é bem legal porque acho que dá pra vocês me conhecerem um pouco mais, ver mais espontaneidade do que um texto pode passar. Não que eu não goste de escrever, pelo contrário, eu AMO! Mas o vídeo me dá uma sensação de mais proximidade ainda com vocês. :)

Pensando exatamente em fazer com que vocês me conheçam um pouco melhor, resolvi responder à tag "Espelho, espelho meu", que tem umas perguntas mais pessoais acerca de preferências. Espero que vocês curtam! Seguem as perguntas as quais respondo: 

1. Você gosta do seu nome ou mudaria?
2. Gostaria de ser mais velha ou mais nova?
3. Você queria ter nascido loira, morena, ruiva, negra ou mulata?
4. E quanto a cor dos olhos, azuis, verdes, castanhos ou pretos?
5. Seu cabelo é natural ou tingido?
6. Gostaria de ser mais alta ou mais baixa?
7. Gostaria de ser mais magra ou mais encorpada?
8. Você é mais menininha ou mais desencanada?
9. Você prefere usar calça jeans ou shorts jeans?
10. Vestido ou saia?
11. Macacão ou jardineira?
12. Prefere usar, sapatilhas e saltos? ou tênis e chinelos?
13. Você compra mais produtos de maquiagem e cosméticos? ou roupas e acessórios?
14. Você se arruma mais para o dia, tarde ou noite?
15. Qual celebridade você gostaria de ser?
16. Se defina em 3 PALAVRAS.


Gente, eu realmente não sei ainda como faço para deixar a caixa de vídeos grande aqui nos posts. As fotos eu já aprendi, mas com os vídeos, ainda to apanhando hahaha! Aprendi como aumento os vídeos na área de postagem yey! Mas mesmo assim, põe em tela cheia que fica melhor. ;) Mas me contem, o que acharam das minhas respostas? E sintam-se convidadas a responder também. Se responderem me avisem! Deem um "joinha" no vídeo se curtiram e não se esqueçam de se inscrever no canal! ^_^
maquiagem

Resenha Quinteto de Sombras Premier Fenzza Matte/Fosca, cor 01

26.11.14
Oi oi pessoal! Hoje eu trago a resenha de um produto que tenho usado bastante. Todas vocês já devem saber que sou a louca do batom colorido uhauhauhauha! Exatamente por isso, sempre busco sombras mais discretas para usar no dia a dia. Eis que achei esse quinteto da Fenzza que é em tons de bege e marrom opacos (algo que é bem difícil nessa era de cores 3D com extra brilho rs), me apaixonei e arrematei o bonito.


As cores são um bege mais amarelado e outro mais rosado, um marrom acinzentado, um marrom avermelhado e um marrom escuro (meio chocolate). Das cinco cores, a que menos uso é a do meio por achar que sempre fica muito apagado em mim. Sei lá, acho que é a que tem menos pigmentação. Acabo sempre ficando entre usar as duas cores mais escuras, tanto para esfumar outras quanto combinadas entre si, ou uma das mais claras na pálpebra móvel e uma das mais escuras esfumando o côncavo. As mais clarinhas também uso muito para iluminar abaixo da sobrancelha.


As cores nos dedos estão exatamente inversas na paleta hehehe. Vejam como a do meio é a que menos aparece em mim
Como quase todas as sombras opacas, elas pigmentam menos na pálpebra do que as cintilantes. Exatamente por isso, pra mim não rola usar sem um fixador de sombras antes. Mas com o fixador, as mais claras aparecem bem discretamente, enquanto as mais escuras pigmentam pra caramba! Tem que pegar leve se o objetivo for esfumar (rs). A duração com fixador é bem boa, em mim fica o dia todo. Cada sombra tem 1,2 g.

Elas não me causaram nenhum tipo de irritação. O cheiro me lembra talco de bebê. Eu até que curto esse cheirinho nas maquiagens, melhor do que os de matéria prima hehehe. A embalagem eu acho meio fraca, tenho o maior cuidado para não deixar cair. Vem com aquelas esponjinhas típicas e eu só uso mesmo em caso de necessidade, tipo "estou na rua, esqueci os pinceis e preciso me montar em 10 minutos" hahahahaha!

Nessa foto abaixo eu usei as duas mais escuras - a menos escura das duas na pálpebra móvel e a mais escura de todas no côncavo e canto externo - e uma dourada para dar uma iluminada no canto interno e um charme a mais na make.

Ignorem o aparelho na foto hahaha! E usei o batom bem discreto para equilibrar o olhão rs
Na minha eu não lembro exatamente quanto paguei, mas acho que foram uns R$ 7,90 numa lojinha perto do meu trabalho em São Gonçalo. Online, achei na Mais Vaidosa exatamente por esse valor, só que no momento essa cor está fora de estoque e eu nunca comprei nessa loja, apesar dela ser famosa. Seguem os ingredientes:


E aí, o que acharam? Já usaram essa paleta? Me contem nos comentários!
cosméticos

Vlog na XI Feira de Estética e Beleza de Niterói

24.11.14
Oi pessoal! Eu sei que atrasei o post, mas é por um bom motivo! Neste sábado (22/11) eu estive na XI Feira de Estética e Beleza de Niterói, que está acontecendo no Espaço Cantareira, onde participei do Espaço Blogueira, junto com outras blogueiras da região. Aproveite para fazer o primeiro vlog do Balaio, por isso demorei mais pra postar porque estava editando o vídeo (ai como ela tá ficando ousada nos vídeos gente! hahahaha!). Eu curti a experiência. Não sei se fiz certo, ou se tem certo e errado nessas coisas (rs), mas tentei mostrar pra vocês um pouquinho do que vi por lá. Aperta o play para conferir!



Links das lojas/marcas que eu falo no vídeo:


Confiram as fotos que tirei por lá também:
Nós blogueiras e o representante da Nature Essence

As blogueiras que participaram do Espaço Blogueira da feira
Nós com as meninas da D.O.Y.D.A por Esmaltes
No quiosque da Desiré Cosméticos
Andando pela feira com o grupo de blogueiras
Demonstração de maquiagem da Indice Tokyo
E aí pessoal, gostaram do passeio? O que acharam do primeiro vlog do Balaio? Ah! A feira vai até às 20h desta segunda-feira, então corre que ainda dá tempo de participar! Deixem os comentários!
padrões

Carta para minha "eu adolescente"

19.11.14
A ideia deste post de hoje eu tirei desse aqui do blog Hi, cultura! da fofa da Katlyn Kraus. Só que diferentemente dela, que hoje tem 16 anos e escreveu uma carta para ela daqui há 10 anos, eu  hoje tenho 26 anos e resolvi escrever uma carta para minha eu adolescente. Claro que, por razões óbvias, não poderei ler no passado rs. Mas ao ver o post da Kat, lembrei de todas as minhas ansiedades naquela época e resolvi escrever o que diria a mim mesma atualmente, caso pudesse. Me acompanhe...

Eu naquela época =)
"Oi Dany! Resolvi te escrever daqui, de 10 anos no futuro, para te dizer um pouco de como será nossa vida. Digo nossa porque eu sou você 10 anos mais velha. Não se espante e fique calma, o futuro é diferente, mas nem por isso, ruim.

Por razões óbvias, não posso te dar muitos spoilers (ok, você ainda não conhece essa palavra) da nossa vida, mas meu objetivo não é te contar exatamente o que aconteceu e sim te fazer enxergar que a vida não é e nem será como você acredita.

O cara que hoje você ama, que foi seu primeiro amor e por quem hoje você sofre, não será seu único nem último amor. Sei que é difícil de acreditar, mas ele não será o único que vai olhar pra você. Sei que hoje é muito intenso e ainda muito difícil e dolorido, mas acredite, um dia ele será apenas uma lembrança. E depois dele, outros caras virão e você amará e sofrerá e sempre vai achar que dessa vez é pra sempre e que nunca amará mais ninguém. Mas você vai. E acredite: isso é bom. Porque um dia você vai encontrar O CARA que vai te amar de uma maneira que você nunca imaginou. E vai ser um "amor tranquilo, com sabor de fruta mordida" como fala naquela música que você tanto gosta. E todas as experiências anteriores, que tanta dor puderam te causar, terão contribuído para formar a mulher que você se tornará: eu. E se tem uma coisa que eu sei é que você só pensa que sabe muita coisa. E quando chegar na minha idade, verá que na verdade sabia muito pouco.


Com relação aos amigos, muitos que hoje você acredita que serão para sempre, na verdade, com o tempo poderão se afastar um pouco. Porque se você acha que rotina de escola é tensa, acredite: na vida adulta é bem mais intensa. Tudo se torna muito corrido e cada um segue um rumo, que nem sempre será paralelo ao seu. Mas se a vida te levará alguns amigos, ela trará outros e manterá alguns. Uma em específico pela vida toda. Você sabe quem é né? Sim, a Dani continua maluquinha, mas ainda é sua melhor amiga. Cuide dela, pois ela vai precisar e muito de você ao longo da vida. E você dela.

(Ainda bem que o tempo passou e a gente melhorou hahaha!)
E tente ter mais paciência com o papai. Sei que às vezes é difícil (pra mim também não é fácil), mas ele só quer seu bem. Ninguém nesse mundo te ama mais que ele, ainda que com o jeitão bronco de família tradicional. 

E com relação à carreira, pense bem o que você quer da sua vida. Jornalismo não é um mar de rosas, muito menos o glamour que você imagina. Sei que hoje você acredita que realização profissional é tudo, mas você vai precisar (e muito!) de dinheiro na vida. E Jornalismo não dá, vai por mim. Considere fazer Engenharia como papai quer. Sei que você odeia fazer conta, mas acho que seria uma carreira mais compensadora. Porque com Jornalismo, é amor e ódio, tapas e beijos. E sinceramente, um dia a gente cansa um pouco sabe?

E não tenha pressa de casar e ter filhos. Sei que você sempre pensou que faria isso tudo muito cedo, mas a vida nem sempre (ou melhor, quase nunca) acontece da forma que a gente imaginou. Então se tem uma coisa que posso te aconselhar é VIVA! Não tenha medo nem vergonha de fazer nada que você queira porque, vai por mim, a gente se arrepende mais do que não fez do que do que fez. Portanto, arrisque! Sorria, seja feliz com você mesma, pois sua felicidade só depende de você! 

E nunca, jamais, deixe que falem mal da sua aparência e te botem para baixo. Você é linda do seu jeito! Você não é gorda (e mesmo que fosse, o importante é ser saudável e feliz contigo, não o que dizem). E vai descobrir e valorizar sua beleza no tempo certo. Só espero que seja ainda antes de mim... 

Espero realmente ter te ajudado, pois se eu soubesse de tudo isso na sua idade, posso ter certeza que nossa vida seria ainda melhor. E será! Cuide bem de você que estará cuidadando de mim. Positividade é fé sempre (mesmo que não seja fácil)! Fique com Deus!"

Então, o que acharam da minha carta? E se pudessem fazer o mesmo, o que diriam ao seu eu adolescente?
Arctic Monkeys

Show do Arctic Monkeys no RJ

16.11.14
Oi oi pessoal! Hoje o post é um pouquinho diferente. Quando eu disse que ia no show dos Arctic Monkeys aqui no Rio, algumas pessoas me pediram pra postar as fotos e dizer como foi. Bom, resolvi fazer um post pra contar um pouco pra vocês. Bora comigo?

Antes de começar. Só pra terem uma ideia da altura em que eu estava! hahaha!
Primeiramente, só posso dizer que foi incrível! Eu fiquei beeeem lá no alto (me senti uma Weasley na copa de quadribol hahahaha!) então as fotos não ficaram muito boas =\. De qualquer forma, o crédito das imagens é do namoradão rs. Mas o show em si foi maravilhoso! A banda The Hives fez a abertura. Eu só conhecia umas duas músicas dos caras, mas foi bacana porque o vocalista interagiu bastante com o público (poderia ter sido até um pouco menos, como fala viu! hahaha) e também o som deles é maneiro. Vou ouvir mais agora que conheci.

The Hives. #Medo define esse cenário hahaha!
Agora, quando nossos queridos "macaquinhos árticos" subiram no palco, chegou a dar um "negócio" sabe? Me arrepiei! Todo mundo cantando junto, foi muito lindo! Vários sucessos com "Do I Wanna Know?", "Fluorescent Adolescent", "Arabelle", "R U Mine" fizeram todos gritarem e cantarem muito. 

Arctic Monkeys mandando ver! Pena que a distância e a iluminação não ajudaram muito... =\
O Alex não interage muito com o público, mas acho que é o jeitão dele mesmo. Se preocupam mais com o som do que com a plateia. Mas por mais que a gente saiba disso, sempre rola aquela sensação de querer mais proximidade né? Acho que é coisa de brasileiro mesmo hahaha! E outra coisa que achei que poderia ter sido melhor foi o tempo de show: foram pouco mais de 80 minutos. Poxa, pra gente pagar para ir ver só os caras podia ser um pouco mais longo o show né? Enfim...

Nessa hora ficou muito bonito com uns efeitos de globo espelhado irados!
E pra aparecer a gente, só mesmo com muito filtro porque né, a luz não tava ajudando :P
O que importa é que foi espetacular, o som estava impecável e foi uma experiência que jamais esquecerei. Nada se compara a tanta gente cantando em coro com o artistas as músicas que a gente curte. E aí, o que acharam do post? Se tiverem mais alguma curiosidade, só me perguntarem nos comentários! ;)
bbcream

Produtos de maquiagem que mais uso

13.11.14

O post de domingo saiu segunda então o de quarta está saindo quinta rs. Mas domingo já tentarei normalizar ok? ;) Bom, vamos ao post! Quem tem blog que fala também sobre maquiagem (ou quem é apenas aficionada por maquiagem rs) costuma ter muitos produtos de uma vez. E muitas vezes me perguntam quais eu uso com mais frequência e quais indicaria sem pensar. Bom, vale lembrar que cada um tem um tipo de pele, portanto os produtos adequados variam. Mas para quem tem a pele parecida com a minha (que vai de normal à mista, dependendo da estação), falo desses aqui do post, que são os que mais uso na vida real e cotidiana.

Uma observação: Tenho muitas sombras e batons, mas pela praticidade diária, quase nunca faço um olho super trabalhado e costumo deixar o destaque da make por conta do batom mesmo. Olhão dramático, só mesmo em eventos e dias especiais (ou quando tô inspirada rs). Então passemos aos produtos (para ver a resenha de cada um, é só clicar no nome)!

BB Cream da L'Oréal - Eu não tenho muitos problemas com minha pele, portanto dificilmente uso base pesada. Tenho muitas sardas, mas nunca tive o objetivo de escondê-las. No dia a dia, opto pelo BB Cream, por ter uma cobertura mais natural e aliar isso à proteção solar. Esse da L'Oréal é o que mora no meu coração por ser mais sequinho e não ser tão transparente quanto outras versões que temos por aqui.

Corretivo 4 em 1 da Make B. - Esse não é o melhor corretivo do mundo, mas tem bom custo/benefício e como não estou rica para desperdiçar nada nessa vida me atende bem. Quando acabar, fato que quebrarei meu porquinho para comprar um da M.A.C. porque corretivo é algo em que não posso economizar (minha olheiras não me deixam mentir).

Pó compacto Color Trend Avon - Esse nem tem resenha aqui no blog. Na verdade, não acho que pó compacto deva ser um item super importante da maquiagem. Até porque, só uso um pouquinho para tirar o brilho da "área T". Não sou muito fã desse da Avon, mas como comprei, usarei até o final (que está próximo, por sinal). Quando acabar, devo comprar o Pure Makeup da Maybelline que dizem ser mais fininho e de acabamento mais natural.

Bronzer da MUA  - Como tenho a pele mais rosada, dificilmente uso blushes em tons de rosa. Ou uso os em tom de pêssego ou os mais puxados pro bronzeado. Por isso uso muito esse bronzer no lugar de blush

Lápis sombra da Phebo - Esse lápis sombra, na cor Peroba, tem um tom de marrom bem curinga e vive na minha necessaire porque é super prático, já que por ser em lápis é muito fácil de aplicar e dá pra esfumar com o dedo mesmo, e combina com qualquer coisa. Canso de passar na pressa antes de sair de casa (atrasada rs) ou no ônibus mesmo hahahaha!

Rímel The Colossal da Maybelline - Tenho umas quatro máscaras para cílios, mas não tem jeito: meu amor verdadeiro e eterno é essa amarelinha! Gosto da The Falsies e da One By One, todas da mesma marca, mas no verão principalmente, uso muito a The Colossal por ter a tecnologia "Super Filme" e segurar mais no calor sem derreter (pois as outras que tenho são laváveis e acabam derretendo com o suor).

Então são esses os produtos que mais uso. E vocês? Me contem quais são os seus queridinhos nos comentários!
dica

Resenha do livro A Arma Escarlate, de Renata Ventura

10.11.14
Capa 1 do livro (existem duas opções de capa. Veja a segunda abaixo)
Oi oi pessoal! Atrasei um pouquinho o post (era para sair no domingo, mas realmente não tive tempo, então vai na segunda mesmo hihihihi)! Hoje trago para vocês a resenha do livro "A Arma Escarlate", da Renata Ventura. Assim que eu soube desse livro, fiquei bem curiosa para lê-lo e vou explicar o motivo. Eu sou muito fã de Harry Potter, mas muito mesmo: até participo de um fã-clube! E foi através do fã-clube que ouvi falar nesse livro pela primeira vez. Pra quem ainda não conhece, aqui vai o resumo oficial do livro:

"O ano é 1997. Em meio a um intenso tiroteio, durante uma das épocas mais sangrentas da favela Santa Marta, no Rio de Janeiro, um menino de 13 anos descobre que é bruxo.

Jurado de morte pelos chefes do tráfico, Hugo foge com apenas um objetivo em mente: aprender magia o suficiente para voltar e enfrentar o bandido que ameaça sua família. Neste processo de aprendizado, no entanto, ele pode acabar por descobrir o quanto de bandido há dentro dele mesmo".

Então, todo mundo (até o jornal O Globo) classificou o Hugo como o "Harry Potter do Dona Marta". E só aí já fiquei curiosa e com pé atrás ao mesmo tempo. Curiosa porque tudo que me remete ao universo de HP me fascina, mas com pé atrás de achar tudo uma grande imitação barata. Mas me despi de qualquer preconceito e fui ler o livro. E olha, não me arrependi! Li muito rápido as 552 páginas, pois a estória nos envolve e faz querer mesmo chegar ao final e descobrir como vai se resolver.

"A Arma Escarlate" está muito longe de ser Harry Potter, mas entendam que isso é na verdade um grande elogio! Harry Potter é maravilhoso, mas a estória de Hugo Escarlate, apesar de trazer bastante referências ao universo da saga londrina, é totalmente suficiente por si mesma. Não há plágios nem "inspirações descaradas". Renata Ventura constrói um universo complementar, mas que não necessariamente depende do de J.K. Tudo em "A Arma Escarlate" é muito interligado à realidade brasileira e carioca em si, sendo impossível não reconhecer o nosso cotidiano na obra, ainda que ela seja de fantasia.

É engraçado, mas vou ter que confessar: apesar de ter amado o livro como um todo, não consegui desenvolver amor pelo Hugo. O protagonista está mais para um anti-herói do que para mocinho. Filho de mãe solteira e morador de favela, o moleque é esquentadinho, abusado, desconfiado, sempre quer se  dar bem em cima dos outros e, na maioria das vezes, procura e merece as encrencas nas quais se mete. Claro que às vezes passas por perrengues que ninguém, ainda mais uma criança, deveria passar devido ao tráfico e à violência. Mas que ele se mete em muita encrenca por não medir suas ações e palavras isso é inegável! Aquele famoso "bem feito!" me veio à mente em vários momento hahahaha! Mas mesmo não tendo desenvolvido amor por ele, não posso deixar de dizer que em muitos momentos a gente fica com raiva dele, mas entende o que o leva a agir de certas formas. É o famoso "te entendo, mas não justifica" (rs).

Cheguei a pensar muito se faria a resenha do livro sem ter conseguido amar o protagonista. Mas decidi que faria ao chegar a conclusão de que talvez a Renata tenha construído, propositalmente, um personagem que não precisa ser amado, apenas compreendido. Afinal, um moleque de morro que cresceu vendo a violência e que não fosse minimamente rebelde não seria realista não é mesmo?

Capa 2 do livro. Acho que gosto mais da primeira rs
Para mim, a parte mais legal é a descrição dos detalhes do universo mágico adaptado à realidade carioca e brasileira como um todo. Temos a escola de magia Nossa Senhora do Korkovado, para a qual Hugo é chamado e que não lembra em nada Hogwarts, pois tem toda uma aura própria e carioca (além de confusões, falta de professores e outras coisinhas que constroem uma crítica social bem ali na nossa frente); O sub-SAARA, que é uma mistura maravilhosa e engraçadíssima de Saara com Beco Diagonal; e os Pixies, que pra mim são a verdadeira graça do livro! Como não amar a doçura e postura de irmão mais velho de Cápi, a irreverência de Viny e de Caimana, até o jeito sisudo (e que no final a gente entende e até concorda) de Índio? Ainda no âmbito dos personagens, tem a Gislene (uma Hermione do morro rs) e o professor gaúcho Atlas, que é bem cúmplice das brincadeiras dos Pixies (me lembrou muito o Lupin, não sei exatamente o motivo rs).

Outro ponto positivo é a referência ao folclore nacional. Mula-sem-cabeça, curupira, saci... Todos ali, o que pra mim é muito digno já que o livro retrata o cenário mágico no Brasil. Quer algo mais mágico e brasileiro do que isso tudo? Inclusive o título do livro tem a ver com a varinha de Hugo, que também tem relação com um dos personagens do folclore (não vou dizer mais senão darei spoiler rs). O fato dos feitiços serem em bantu, iorubá e tupi é uma bela sacada também, apesar de eu achar os em latim bem mais confortáveis de se ouvir e tentar ler, visto que são mais próximos do radical do português. Mas pela criatividade, pela inovação e pela lembrança das influências que essas línguas têm no português e na cultura brasileira, não vou reclamar. 

O cenário da favela, da violência e do crime estão lá também, fazendo o link com a realidade e o papel de crítica social do livro. Confesso que esse núcleo chegou a me trazer certo desconforto em alguns momentos. Mas se não houvesse, não poderíamos entender Hugo...

Bom, vou parar por aqui porque, se deixar, essa resenha vai ficar mais enorme do que já está e também é meio difícil não dar spoilers (rs). Resumindo: é um livro muito legal, rico em fantasia e em realidade, com personagens e cenários bem construídos e um enredo envolvente que nos faz querer muito saber o final. Se você curte esse tipo de literatura de fantasia, provavelmente vai amar! Mas se desarme de qualquer preconceito e utilize às referências a Harry Potter apenas para diversão e intertextualidade. Não espere encontrar um "Harry Potter brasileiro". Espere conhecer Hugo Escarlate e seu universo próprio que se descortina ao leitor. E quando terminar, te espero em frente aos Arcos da Lapa, n° 11... ;)

PS: O segundo livro da série, "A Comissão Chapeleira" já foi lançado e estou bem curiosa para ler! Assim que eu conseguir, faço a resenha para vocês. =)
feminismo

Meu corpo não é público!

5.11.14
Crédito da imagem: Think Olga
Esses dias vi uma publicação na página do Facebook "Think Olga" que falava exatamente o que eu penso e que muita gente não entende (acreditem, até mesmo mulheres!): "Caminhar por um espaço público não torna meu corpo público". E essa postagem foi no mesmo dia em que o programa "Amor & Sexo", da TV Globo, falava que ser chamada de gostosa na rua era um sinal do poder da mulher (oi?!)

Normalmente, eu até gosto do programa, mas essa afirmação que permeou o episódio daquele dia, com direito até a apresentação de pedreiros passando cantada (!!!), me deixou constrangida e incomodada. Entendam, não é que eu seja da turma do "mimimi" que faz de tudo um caso polêmico, mas me considero feminista sim (não das mais radicais, mas sou) e simplesmente ODEIO que mexam comigo na rua!

As pessoas (principalmente os homens, mas muitas mulheres também, que é o que mais me choca) precisam entender que absolutamente NADA dá o direito de alguém incomodar outra pessoa na rua, seja pelas roupas, maquiagem ou beleza. Não é porque uma mulher é bonita e está bem arrumada que você tem o direito de falar qualquer tipo de coisa de conotação sexual. E não importa também se você "só" chamou de gostosa, de linda, ou se foi baixo nas palavras. QUALQUER manifestação sensual ou sexual alheia à vontade da pessoa a quem se dirige é considerada ASSÉDIO SEXUAL

Entendam que, em muitas vezes, essas abordagens grosseiras e propostas inadequadas constrangem, humilham e amedrontam as mulheres. Se você está passando por um lugar estranho, por exemplo, qualquer olhada diferente e um "coisa linda ein!" de um cara que você não conhece podem assustar e parecerem prenúncio de um possível abuso (físico, porque pra mim verbalizar já é abuso).

Crédito da imagem: Think Olga
"Ai Dany, mas você é muito radical! Porque não encara como elogio?" Eu já ouvi essa frase de muita gente, até mesmo de amigas próximas. Mas entendam: pra mim, elogio é um cumprimento educado e sincero de alguém QUE ME CONHECE. Nenhuma gracinha que um ESTRANHO me diga na rua vai contribuir para aumentar minha autoestima ou não, até porque, aprendi a me amar e valorizar por mim mesma. Não preciso que um "Zé" qualquer me diga qualquer coisa pra ter certeza que sou bonita. E não é questão de ser "convencida", mas de se amar!

Para finalizar, deixo aqui uma parte da postagem da "Think Olga" pra ver se, de uma vez por todas, as pessoas entendem a gravidade da situação:

"Segundo a ONU, 1 em cada 5 mulheres já sofreu uma violência sexual. Ou seja, a maioria de nós tem gatilhos sensíveis a tais abordagens. Então quem tem que dizer se a abordagem foi ou não violenta, se ofendeu ou não são as mulheres. A palavra final é nossa.

Dizer "não" ao assédio é não aceitar mais que mulheres sejam vistas como objetos sexuais passivos ou como vítimas frágeis do poder dos homens. 

Dizer "não" ao assédio é afirmar que as mulheres podem e devem ter controle sobre a própria sexualidade.

Dizer "não" ao assédio é mostrar que podemos igualar a voz e o poder da mulher na sociedade.

Dizer "não" ao assédio é não submeter as mulheres aos papéis sociais tradicionais".

Até quando nós viveremos em uma sociedade machista que acredita que devemos ficar quietas diante da violência, seja ela considerada mais "sutil" ou literal?
batom

Resenha: Batom Vermelho Queimado da Koloss

2.11.14
Olá pessoas! Tudo joinha com você? Lembram que falei do batom na cor Vermelho Queimado (148), da Koloss, para vocês no vídeo da Tag "Loucas por Batom"?! Então, resolvi fazer uma resenha dele para que vocês pudessem ver melhor o meu baratinho da coleção hehehe. Vamos às considerações!


Eu estava à procura de um batom num tom de vermelho mais escuro, "queimado" mesmo, quando achei esse bonito. Ele tem o acabamento cremoso, que não é dos meus favoritos porque acaba escorrendo um pouco nas linhas dos lábios, por isso sempre prefiro batons matte. Mas nada que um lápis de contorno e um pouco de pó para finalizar não ajudem né rs. E ele cobre bem, é macio e já entrega cor facilmente na primeira passada (mas eu sou exagerada e passo várias vezes hahaha).

Swatche em zoom rs. Só com uma passada. ;)
Por ser cremoso, a durabilidade também não é das maiores. Assim que come ou bebe algo, é necessário retocar. Diria que sem comer ou beber, também não dura muito mais que umas 3 horas sem precisar de retoque. Então tem que levar na bolsa. Em relação à fragrância, ele tem sim, mas não sei muito bem identificar do que seria (me arrisco em dizer que fica entre baunilha e chocolate, mas não sei ao certo), mas não me incomoda, acho até gostosa. Abaixo, uma foto minha usando ele numa make completa. =)


A embalagem é daquelas típicas de marcas mais baratas: transparente, de acrílico e bem frágil. Tem que ter cuidado para não quebrar fácil. O fato da bala também ficar com um pedaço para fora da embalagem me incomoda um pouco, porque tem que ter mais atenção na hora de tirar e colocar a tampa para não arrancar um pedaço do batom. =\

Viu o tanto de batom que fica pra fora da embalagem? Medo de estragar =(
Eu paguei uns R$ 6,90 na Perfumaria Kennedy de São Gonçalo. Acho que o custo/benefício até vale a pena pra quem curte batons cremosos. E a cor é linda!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...