feminismo

Lady GaGa e o Oscar 2016: Quando o machismo está onde nem percebemos

29.2.16
Fonte: Internet
Oi oi pessoal! Tudo beleza? Esse post de hoje teve origem logo após a premiação de melhor canção no Oscar 2016, que aconteceu ontem (28/02). Como o blog é o meu espaço para compartilhar minha opinião com vocês, resolvi desabafar um pouquinho. Se você está aqui, é porque curte meus textos, então #vemk e vamos conversar. 

Eu não tenho nenhuma capacitação técnica para avaliar nada de música e cinema. Sou apenas curiosa e apreciadora, mas não posso dizer com propriedade o que está tecnicamente bem executado. Mas posso dizer o que me toca ou não, o que acho bom ou não. E, em minha humilde opinião (e na da maioria das pessoas no Twitter) a canção de Sam Smith - "Writing's on the wall" ("007 contra Spectre") - não deveria ter recebido o troféu. Lembro que fui ver o filme no cinema e a abertura, que  para mim sempre é um show à parte nos filmes de 007, foi arrastada, chata e torturante! Eu não via a hora de acabar, pois achei a música muito tediosa. Quando saí do cinema, ela já havia se apagado completamente da minha mente, não lembrava nem a melodia!

Se fosse só a minha opinião, ok, problema é meu, eu sei. Mas eis que Lady Gaga estava concorrendo com "Til it happens to you" (do documentário "The hunting ground", que aborda o tema de estupro nos campus das faculdades dos Estados Unidos). Não é parcialidade de fã, porque não sou fã dela. Mas essa música... Sério, me arrepiei dos pés à cabeça com a apresentação dela e os arrepios não passaram por uns três minutos! A superioridade da canção era evidente até para os mais leigos. Minha torcida estava toda nela e até o vice-presidente dos EUA foi à cerimônia falar da importância em se abordar o assunto.

Mas quando a premiação saiu, o Oscar foi para a inexpressiva (e chata) música de 007! E aí eu comecei a refletir: se a música não era a melhor, porque raios ganhou? Então comecei a pensar no que as duas canções e os dois filmes representavam e quem estava julgando. De um lado, uma canção feita para um filme de um dos personagens mais antigos, estereotipados e representante de tudo o que uma sociedade altamente machista venerava: um galã, viril, desapegado de mulheres (usa e abusa delas como se estivessem ali apenas para seu prazer), que possui carros, armas, etc.

Lá do outro lado, uma música que era um verdadeiro grito de socorro, de basta, de "precisamos que nos ouçam e que discutam isso!" e que foi fundo para um documentário sobre um assunto que os machistas não estão preparados nem interessados em discutir: o abuso e a violência sexual contra as mulheres, que já começa antes mesmo que elas e seus agressores sejam adultos, na universidade. Conseguem perceber tudo o que esse documentário e essa canção representam?

E quem estava julgando qual delas deveria vencer? Em sua maioria, homens, brancos, de idade avançada e de mente conservadora (AKA possíveis machistas). Se pararmos para pensar em quem estava avaliando, fica bem evidente que GaGa dificilmente levaria o Oscar para casa, apesar de muitíssimo merecido. Então, fica muito evidente que quem ganhou a estatueta não foi a canção de Sam Smith, mas o personagem por trás dela. Parece que basta ser a música de um filme do 007 para merecer a premiação (não que Adele não tenha merecido anteriormente, pois a canção dela era muito superior a essa nova).

Dar o Oscar à GaGa seria renegar o valor que o esteriótipo que é James Bond conquistou para a sociedade machista. Seria assumir publicamente que as mulheres que passaram por abuso sexual têm direito a uma voz. E, para isso, acho que a Academia ainda não está preparada e evoluída o suficiente. Quem sabe, com as mudanças prometidas (de incluírem mais mulheres, negro e latinos) no corpo da Academia, isso mude com o tempo? Só nos resta torcer...
base

Resenha: Base Líquida Mate da Quem Disse, Berenice?

23.2.16


Oi oi pessoal, tudo bem? Cá estou novamente, YEY! No post de hoje vou fazer a resenha da Base Líquida Mate da Quem Disse, Berenice? na cor 1A. Há um tempo atrás a assessoria da marca me enviou essa base, um lápis de olhos e um primer para sombras para testar (pausa para a emoção de receber, pela primeira vez, produtos de assessoria. \o/ Meu foco com o blog nunca foi "vou ser blogueira para receber produtos". Mas ter meu trabalho reconhecido por uma marca tão legal quanto a QDB?, a ponto de eles me enviarem os produtos para teste, me deixa muito feliz).

Não escondo de ninguém que curto a marca, haja visto o tanto de resenha que já fiz de produtos deles rs (inclusive uma de um lápis de olhos que vocês podem ver aqui. A impressão é a mesma do lápis que eles me enviaram - a cor é "marronlito" e é mate -, ainda estou pensando se vale fazer outra resenha...). Então é com muita alegria, mas também sinceridade, que me proponho a falar aqui o que achei dessa base.

O que a marca diz sobre o produto: "A gente quer que você brilhe, e não a sua pele. Por isso, além de cobrir tudo aquilo que você não quer mostrar, a base mate ajuda a controlar o brilho e a deixar seu rosto bem sequinho. Com FPS 15 e UVA++, a base líquida mate quem disse, berenice? controla o brilho e deixa a pele sequinha, além de ter um perfume bem suave na hora de passar. E não para por aí: a base líquida mate, tem FPS 15 que protege contra os raios UVB, responsáveis pelas queimaduras solares, tem também proteção contra os raios UVA, representada pelas 2 'cruzinhas' (++) da embalagem. Os raios uva são aqueles que causam o envelhecimento e até mesmo o câncer de pele. Fica esperta!" (Acho bonitinho esse jeito despojado deles ^^).

Agora, vamos a minha experiência? Em primeiro lugar, ponto para a QDB? em relação a cor da base e sua correspondência com meu tom de pele. Eu sou bem branca e rosada e sempre tenho problemas para achar o tom adequado, normalmente as bases ficam um pouco mais escuras e/ou amareladas. Essa ficou certinha para mim! Só fico pensando nas meninas mais branquinhas que eu (acho que existem, né? rs), já que essa é a cor mais clara disponível. O FPS podia ser um pouquinho maior, mas ainda é melhor que nada né? rs.

A cobertura, na minha opinião, é média. Dá uma uniformizada na pele, mas não chega a esconder todas as minhas sardas, por exemplo. Esse é um efeito que eu curto, porque não fica artificial, parecendo que coloquei uma "máscara de make", nem fica muito transparente. E como eu não tenho nada na pele que eu queira esconder (nem marcas, cicatrizes ou espinhas), ela me atende perfeitamente. Vale destacar que eu passou pouco produto, então acredito que dê para construir camadas com ela para um efeito de maior cobertura, mas acho que deve ficar meio pesado.

Só com base: com e sem flash (ignorem o cabelo tenebroso hahaha!)

Em relação à textura, é fina e espalha fácil. Assim que eu passo a base, tenho aquela sensação meio "peguenta" como se fosse um protetor solar e a pele fica brilhosa. Lembrando que moro no Rio de Janeiro e por aqui tá quase sempre calor (rs), por isso, sinto que a base demora um pouco a assentar na pele. Mas nos dias menos quentes, ela assenta bem mais rápido. Ainda assim, não consigo usar ela sem um pó por cima para selar. E mesmo com o pó, sinto que ela transfere um pouco na tela do celular, por exemplo. Vale destacar que minha pele não é super oleosa, mas é normal com tendência à oleosidade na "zona T". Resumindo, para estar categorizada como "mate", esperava uma base mais sequinha. Mas ela também não é oleosa. Acredito que se eles pesassem mais o efeito mate, talvez ela não ficasse com um efeito leve. Ia ficar mais "reboco", entendem? 

A durabilidade é ok: passo antes de ir trabalhar (por volta de 11h) e quando chego em casa (aproximadamente às 19h) ela ainda está lá. Um pouco menos do que quando passei, mas mantém a dignidade sim. O cheiro dela é gostosinho, bem típico dos produtos de pele da QDB?, mas eu ainda preferia que fosse menos pronunciado (às vezes sinto ele se misturando ao meu perfume).

Make completa antes de sair de casa e ao voltar no final do dia (o que fiz para merecer esse cabelo? Não sei!)

A embalagem contém 30 ml, é de plástico e pump e, ao contrário dos pumps da MAC, o da base da QDB? dá para apertar de levinho que ele entrega produto fácil e em pouca quantidade (posso ouvir um amém?! Te amo Pro Longwear, mas ODEIO a embalagem que desperdiça produto #prontofalei). Acho bom ser de plástico, porque não quebra. Ela custa R$ 49,90 e você pode comprar pelo site da marca ou em uma das lojas físicas.

Resumindo: Tem cobertura média, é mais sequinha, mas não achei totalmente mate. Tem bom custo/benefício. Acredito que deva ser melhor para meninas de pele normal a mista e que morem em lugares menos quentes. Uma pele oleosa num calorão, acho que ela não segura viu?! Tendo pele mista e morando no "Hell de Janeiro" acho que fico no limite da capacidade dela. Eu até curti, vou continuar usando. A cor ficou ótima para mim, mas em matéria de textura, ainda prefiro o BB Cream da L'Óreal (pena que não tem a cor certa... Fuém! Pouxan L'Óreal!).

Usando em outra ocasião, num dia mais ameno

Alguém aí usa? Deixem suas impressões nos comentários ;)

Coletor Menstrual

​​Coletor menstrual - o que você quer (ou deveria) saber, mas ninguém fala

17.2.16
​Oi oi galera! Então, cá estou eu novamente tentando voltar com o blog. Agora que o ano finalmente começou (porque nesse país nada anda antes do Carnaval rs), quem sabe eu finalmente engreno, não é mesmo? #Oremos. E para começar bem o ano, já venho logo com assunto polêmico porque sou dessas! hehehe. Vamos falar de coletor menstrual?

Imagem: Divulgação InCiclo

Se você é mulher, antenada e vive conectada assim como eu, provavelmente já pelo menos ouviu falar sobre ele. Se ainda não ouviu, vemk que eu te explico: os coletores menstruais vêm sendo amplamente divulgados como uma alternativa sustentável, ecologicamente correta e como opção para meninas que não conseguem se dar bem como os absorventes externos ou internos que existem atualmente no mercado. Trata-se de uma espécie de "copinho" feito 100% em silicone medicinal, que não interfere na umidade natural da vagina e é hipoalergênico e não contém substâncias químicas, ao contrário dos absorventes comuns.

Então, traduzindo pro bom português, é um copinho que você vai colocar na ppk e ele vai coletar o fluxo. Depois de um tempo, você retira, esvazia ele, lava e coloca novamente. Sem produção de lixo, sem contato com o ar (que é o que faz realmente aquele odor desagradável, com o coletor não rola o cheiro) e com muito mais conforto porque, pelo menos no meu caso, eu quase esqueço que estou "naqueles dias" (oi vó, é você falando?! rs).

Eu não vou me estender explicando o que é, benefícios, etc porque posts sobre isso você vai encontrar aos montes na internet. Se você quiser saber mais sobre o que o fabricante fala, vou deixar aqui o site do que eu comprei para você dar uma olhada (não é publi, só que esse é o que eu comprei e minhas experiências se baseiam nele).

Meu post é para dizer o que ninguém te conta sobre o coletor (lembrando sempre que é do meu ponto de vista). Então se você tem um monte de dúvidas, assim como eu estava antes de usar, e não acha as respostas, segura na minha mão que vou te contar:

Dica 1 - Corte as unhas 
Parece piada, mas é sério miga! Corta as unhas quando você estiver começando a usar. Depois que você pegar a prática, pode até tentar deixar crescer. Mas enquanto estiver aprendendo, vai por mim, melhor deixá-las curtas. Experiência própria... Sempre curti unhas enormes, mas no primeiro ciclo com o coletor, vi que não ia rolar. Sério, vai por mim! Puta dor que dá quando você "pinça" com a unha sem querer lá dentro na hora de tentar tirar. #SadButTrue

Dica 2 - corte o maldito cabinho
O coletor vem com um cabinho na base para, teoricamente, "facilitar" a retirada. Olha, pode até ter sido essa a intenção, mas essa praga desse cabo incomoda que só! Sério, como o coletor não deve ser colocado muito pra dentro, o cabo fica muito próximo à saída do canal e machuca. Pelo menos nesse modelo que eu comprei. Depois de pesquisar, vi que outras marcas tem com diversos formatos desse puxador (haste, que é esse mais comum, bolinha, anel) e até sem nada, só o copinho mesmo. Mas da marca que eu comprei, só tem esse formato e olha, que treco incômodo! Eu perdi o medo e cortei o cabo logo no 2° ciclo e, aí sim, ficou bom. Não cortei tudo, mas diminuí o máximo que pude (tem uma parte só de haste e outra que já vira o fundo do coletor. Cortei nesse limite). Não esqueça de lixar a ponta depois de cortar, para evitar qualquer rebarba que possa machucar.

Dica 3 - Relaxe!
Seja na hora de colocar ou na hora de retirar o coletor, é preciso estar calma e relaxada, senão o troço não funciona nem com reza braba! Para colocar, basta você dobrar da melhor forma que achar (no meu caso, só funciona a "punch down"), relaxar e tentar colocar. Tem que se certificar que ele desdobrou. Basta passar o dedo em volta dele para ter certeza que ele tá ok e que pegou vácuo (isso é importante, se não pegar, vaza. Tenta dar uma puxada, se sair fácil, tá sem vácuo. Tira e recoloca). Lembra de sempre colocar ele para trás (em direção ao bumbum), não para cima que nem o OB. E ele fica mais baixo do que o OB também, cerca de 1cm para dentro do canal vaginal só.

Para retirar, mesma coisa: calma é fundamental. Pode ser sentada no vaso, pode ser no banho. Como você ficar melhor. Se ele subir muito, dá uma empurradinha com o "músculo do xixi" sabe? Isso facilita que ele venha mais para a entrada, daí só você usar os dedos para pinçar ele. É importante quebrar o vácuo com os dedos, senão não sai. Nos primeiros ciclos, eu não não conseguia tirar como facilidade e dava um mini desespero de não conseguir nunca mais tirar o troço e ter que ir pro hospital para pedir ajuda (imagina a cena: "oi, to com um troço preso na ppk, me ajuda a tirar?" huahuahuahua), mas isso não acontece amiga, pode ter certeza! Quando rolar esse surto, respira, relaxa e descontrai os músculos, mete a mão e puxa que sai!

Imagem: Divulgação InCiclo

Dica 4 - Higienização
Quando eu comprei, batia uma puta neura de "como vou limpar esse treco na rua?". Mas acredita em mim, dificilmente você precisará passar por isso. Estou usando há 4 meses e nunca precisei. Isso porque você pode ficar até 12h com ele sem esvaziar. "Ai Dany, impossível! Meu fluxo é muito grande, parece que vou morrer de hemorragia. Esse treco vai vazar em menos de 4h". DUVIDO amiga! Eu também achava que meu fluxo era imeeenso, que ia vazar, mas isso é uma impressão errada que temos causada pelos absorventes externos. Isso acontece porque quando estamos com os absorventes externos, a "espalhabilidade" (nem sei se essa palavra existe, mas se não existir, inventei RS) do fluxo dá essa sensação. Uma das vantagens do coletor menstrual é que ele proporciona conhecimento do seu próprio corpo. Você passa a ter noção do real fluxo da sua menstruação e percebe que ele não é, nem de longe, tão grande quanto você imaginava.

Para lavar o coletor basta utilizar sabonete neutro. Pode ser aquele de bebê da Granado (o amarelinho líquido sabe?). E ao final de cada ciclo, é só você ferver ele por cerca de 5 minutos em uma panela esmaltada (não pode ser teflon nem alumínio que soltam resíduos que estragam o silicone) e guardar no saquinho de pano que vem com ele. Se ele começar a ficar amarelado (o ph vaginal, os produtos usados para limpeza e outros fatores podem causar isso), basta colocar bicarbonato de sódio na hora que for ferver ele. Nos sites dos fabricantes costumam ter as instruções em relação à quantidade de produto a ser usado, só procurar. ;)

Dica 5 - Indo ao banheiro
Dá para fazer o n° 1? Dá sim, de boa. Demora um pouco mais que o normal, porque o o "jato de xixi" fica reduzido. Acredito que isso deve acontecer porque o coletor deve pressionar um pouco o canal vaginal e, consequentemente, o da uretra também deve sofrer uma leve pressão. Mas nada desesperador nem incômodo. É só ter um pouco mais de paciência.

Dá para fazer o n° 2? Também dá, mas acho meio desconfortável. Tipo assim, o coletor não vai cair nem nada, mas como tem que fazer uma certa força, ele pode ir um pouco mais para fora e esse deslocamento não acho legal, só na hora de tirar o coletor mesmo. E além disso, o esforço para fazer o n° 2 acaba sendo maior, pelo mesmo motivo que expliquei do xixi: o coletor deve pressionar um pouco os dois canais ao redor né?! Então para o n° 2, acho mais prático sem o copinho.

Dica 6 - não tenha nojo do seu corpo
"Aí Dany, cê tá me dizendo que vou ter que pôr a mão na ppk quando estiver menstruada?! ECA, que nojinho!". Miga, APENAS PARE! É o seu corpo e você não tem que ter nojo dele. Menstruar é natural e não tem nada de nojento. E afinal, você já não tinha que pôr a mão pra lavar, oras?! Mais nojento é ficar com o fluxo no absorvente, em contato com a pele, aquele treco ali podendo proliferar bactérias e causando aquele cheiro horroroso... ECA! Isso sim dá nojinho. Depois que passei a usar o coletor, me sinto bem mais limpa, sequinha e confortável durante a menstruação. Você pode esvaziar e limpar no banho mesmo, então nada de torcer o nariz.

Uma coisa que eu queria dizer, mas que não é bem uma dica, é mais uma experiência pessoal. Quando eu conto que estou usando o coletor menstrual, algumas amigas me perguntam várias coisas (a maioria dá pra descobrir nos sites das empresas que vendem, por isso não vou me ater a isso aqui) e me perguntam principalmente se não incomoda e se não vaza. A primeira dúvida, já expliquei para vocês: depois que cortei o cabo, não. Quanto a segunda, nunca vazou no dia a dia. Mas para dormir, sim. Não sei qual a treta que dá no meu corpo ao longo da noite (não sei se me mexo muito durante o sono), mas já aconteceu de vazar algumas vezes. Na teoria, você pode dormir com ele (a menos que você durma mais de 12 horas, o que acho que não é o caso de ninguém RS), mas na prática, não tem dado muito certo pra mim. Vou ter que descobrir o que tá rolando e me adaptar. Não é o ideal pra mim, mas talvez eu tenha que colocar um protetor de calcinhas na hora de dormir para garantir.

Outra coisa: antes de usar, falei com minha ginecologista para me certificar que era seguro e que tudo o que o fabricante fala não é conversa fiada. Ela me disse que não tem nenhum aumento de risco, pelo contrário, diminui se comparado aos outros métodos porque o silicone não é reagente. Basta higienizar bem as mãos antes de manipular e manter o coletor limpo. O resto é mais uma questão de preferência e adaptação, segundo ela.

É isso gente. O post ficou enorme, mas achei importante compartilhar com vocês. Ia fazer em vídeo, mas fiquei com uma baita preguiça de editar RS. Se tiverem mais dúvida, deixem nos comentários que tentarei ajudar. Se alguma de vocês já usa e quiser me contar algum "causo" ou me dar dicas também, fique à vontade!

Update (14/02/17): Já têm uns quatro ciclos que não tenho nenhum vazamento durante a noite. Acredito que tenha sido algum problema de desdobramento, criação de vácuo ou de posicionamento mesmo que, com o tempo, peguei a prática. Vi que o segredo é ter paciência e, caso não tenha certeza se o coletor está corretamente posicionado e vedado pelo vácuo, melhor tirar e tentar colocar novamente. E dê uma puxadinha para ver se sai com facilidade. Se sair, estava mal colocado. Tem que ser bem difícil (praticamente impossível) de retirar sem quebrar o vácuo.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...