dicas

Resenha: A (R)evolução das mulheres

22.11.17

Que livro senhoras e senhores, que livro! Depois de tanto tempo sem postar, A (R)evolução das mulheres é tão incrível que me fez ter vontade de vir aqui fazer uma resenha para vocês. Mas antes de dar minha opinião real oficial ®, segue a sinopse:

"Três anos se passaram desde o assassinato da irmã mais velha de Alex Craft. Mas, como é de costume, a culpa sempre recai sobre a vítima e o assassino segue sua vida em liberdade. Alex é uma menina forte e quer vingar sua irmã. Por isso, ela resolve atacar qualquer predador sexual que cruzar seu caminho e colocar a boca no mundo, usando a linguagem que conhece melhor: a linguagem da violência.

Mas o que aconteceu na noite do assassinato chama a atenção de Jack Fisher, o cara invejado por todos: atleta perfeito, que desfila de braço dado com a garota mais cobiçada. Ele deseja conhecer Alex profundamente. E, numa cidade pequena, onde todo mundo se conhece, esse repentino interesse vai desencadear uma série de crimes bárbaros.

Uma narrativa vibrante com cenas de grande impacto, A (r)evolução das mulheres é uma reflexão profunda sobre os abusos e estereótipos, que tiram a humanidade das mulheres. Mindy McGinnis nos mostra que as agressões perseguem a vida não só das vítimas, mas também daqueles que estão próximos a elas."

Então vamos à resenha! Quando vi esse livro na livraria, achei que fosse um estudo sobre o feminismo. Como o assunto me interessa, fui até ele e qual não foi minha surpresa ao perceber que se tratava de uma ficção YA (Young Adult)! Fico muito feliz em saber que as editoras e autores estão cada dia mais interessados em tratar temas importantes com esse público jovem, não apenas disponibilizar romances "água com açúcar" (não que nesse livro não tenha romance, mas isso eu vou discutir num tópico mais na frente). Então adquiri o meu na primeira oportunidade. Várias amigas me pediram resenha assim que acabasse de ler, então cá estou.

A primeira coisa que posso dizer é que não consegui largar esse livro até terminar! A escrita de Mindy McGinnis é fluida e te faz querer ir até o final (foi meu primeiro contato com a autora). Nem o fato da estória ser narrada por três personagens quebra muito o ritmo. Os narradores são a Alex, nossa protagonista; Jack, o "popular gostosão" da escola e que fica enlouquecidamente apaixonado pela Alex; e a Efepê (filha do pastor = FP), que é bem diferente do que o rótulo dela insinua e que se torna a melhor amiga da Alex. 

A Alex é uma garota com um passado cruel: teve a irmã, Anna, violentada e assassinada; uma mãe que é alcoólatra e um pai que as abandonou. Então ela se vê como perturbada, desde criança, já que sempre teve tendência a comportamentos violentos. Um "lobo enjaulado" e a irmã era a sua domadora, pois sempre a acalmava e protegia. Depois que ela se foi, o "lobo saiu da jaula" e agora ela dá vazão a esse lado violento: matou o assassino da irmã (mas ninguém sabe disso, só que ele morreu de forma bizarra) e não tolera nenhum tipo de comportamento abusivo.

Em um dado momento, há uma passagem em que dá a entender que ela mesma sofreu um abuso sexual, mas continua virgem de acordo com o que conta no livro. Essa passagem ficou meio confusa, até porque só é falada em um capítulo da Alex, e no meio de um devaneio dela. Então achei que essa é uma ponta solta, pois não ficou muito esclarecido o que realmente aconteceu com ela. Contudo, isso não atrapalha tanto o desenvolvimento da narrativa.

Apesar dessa representação de "garota perturbada", a gente descobre que ela não é uma psicopata fria e calculista, como parece. Alex é voluntária no abrigo de animais do condado, onde cuida dos animais com zelo, até se arriscando para protegê-los. É lá onde começa a amizade com Efepê, que também é voluntária, após a menina reparar melhor em Alex e nesse lado dela.

Alex salva Efepê de uma situação de perigo de uma forma bem sinista e na frente de várias pessoas, o que faz as opiniões sobre ela serem divergentes (não que ela se importe rs). Confesso que, no lugar dela, adoraria fazer o mesmo, mas não sei se teria coragem. Não achei nem um pouco injusto... Essa situação aproxima ainda mais as garotas.

Além disso, Alex é pura sororidade com as meninas da escola. Até em relação à garota mais popular, patricinha e "piranha": defende a menina contra os xingamentos, apaga dizeres nojentos das paredes dos banheiros e deixa claro que no caso de uma traição, quem deve ser responsabilizado é aquele com quem você tem um compromisso, muito mais do que a outra parte envolvida na traição (nunca esqueçam isso, ok?!). Enfim, ela é diferente!

E é esse jeito diferente que chama a atenção de Jack. Confesso que acho um porre ter que acontecer um romance em todos os livros, mas essa é uma fórmula que tem dado certo nos YAs, então não julgo tanto. Mas até que o romance dos dois funciona, porque a maneira dela ser faz com que ele queira mudar e deixar de ser um babaca (e isso sem ela tentar mudá-lo. Detesto quando a mocinha - nem sei se esse termo se aplica à Alex rs - fica querendo transformar o cara). Tudo bem que ele é meio babaca com ela em um certo momento, mas me solidarizo com ele e se vocês lerem o livro vão me entender rs.

Essas relações com o Jack e com a Efepê também mudam a Alex. Fazem ela sentir coisas que nunca imaginou ser capaz. Outras mortes ainda acontecem, mas as coisas não são mais como eram... E o plot desse livro é de cortar o coração! Terminei ele 1:30 da madrugada, aos prantos, e resolvi escrever a resenha assim que acordasse (mas o app do Blogger é uma porcaria, apagou meu post depois de escrito e eu precisei reescrever, por isso o post está indo ao ar tão tarde =\ ).

Sororidade, empoderamento, girl power, luta contra a agressão sexual, contra piadas machistas e misóginas, contra a banalização da violência contra a mulher e contra maus-tratos aos animais, tudo isso é discutido nesse livro. 

Enfim, para terminar a resenha sem dar spoilers e sem ela ficar mais gigante ainda, basta dizer que a Alex e suas atitudes modificam a cidade e principalmente a escola. A (r)evolução que dá nome ao livro acontece nas últimas páginas do livro e é emocionante demais ver a forma como os pensamentos e atitudes se modificam. Então, por favor, leia esse hino de livro! Só tenha em mente que é um YA e algumas pontas soltas acontecem, algumas coisas poderiam ser melhor desenvolvidas... Mas nada que desmereça a leitura.

Ah e, por favor, não faça a burrice de ir na última página da estória, antes dos agradecimentos, para ver quantas páginas ela tem (btw, são 341, não precisa ir lá conferir. De nada!) porque senão você vai tomar um PUTA SPOILER EM CAIXA ALTA NO MEIO DA CARA! Eu fiquei muito bolada! Editoras e autores, não façam isso, please! É uma baita sacanagem... 

Então é isso. Espero que tenham gostado e, caso leiam o livro, venham me dizer o que acharam. ;)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...